Forrest Gump

“Tonto é aquele que faz disparates”, diz Forrest Gump (Tom Hanks) a uma senhora que está sentada ao seu lado à espera do autocarro. E ele não é tonto, é apenas um rapaz com um coeficiente intelectual mais baixo do que o normal, mas com um senso comum, uma perseverança e uma inocência que tornarão a sua vida mais fascinante. E a sua peculiar forma de ser, fará com que seja o protagonista de feitos relevantes na história dos Estados Unidos. Mas Forrest só se deixa impressionar por uma coisa na vida: Jenny (Robin Wright Penn), a sua amiga e grande amor platónico desde criança.

Dirigido pelo especialista em super produções e sucessos de bilheteira, Robert Zemeckis (“Regresso ao Futuro”), “Forrest Gump” seduziu a crítica e o público e obteve treze nomeações para os Óscares, conseguindo seis; entre eles melhor filme, melhor diretor e melhor ator protagonista para Tom Hanks. Com um enorme design de produção, uma história maravilhosa, uma banda sonora que merece a pena destacar e uma das melhores atuações da carreira de Tom Hanks (“Filadéfia”), não é de admirar que “Forrest Gump” seja um daqueles filmes indispensáveis, que merece a pena voltar a ver de vez em quando.