7 Curiosidades sobre “Mad Men”

Mad Men - corpo blogue

Mad Men terminou há quase três anos, mas ainda hoje continua a ser uma das grandes produções AMC. O primeiro episódio foi transmitido a 19 de julho de 2007. Sete temporadas e 92 episódios depois, a produção criada por Matthew Weiner chegou ao final, a 17 de maio de 2015.

Mas durante o período em que esteve em exibição, Mad Men conquistou diversos prémios, incluindo 16 Emmys e cinco Globos de Ouro. Fortemente aclamada e elogiada pela crítica, devido ao guião, desempenho do elenco e autenticidade histórica, Mad Men é considerada uma das melhores séries de sempre.

O AMC recorda este drama histórico ao partilhar sete curiosidades sobre a série de Matt Weiner.

HBO RECUSOU “MAD MEN”
Antes da AMC assinar a transmissão de Mad Men, Matthew Weiner dedicou algum tempo a tentar vender o argumento. Devido ao seu conteúdo negro, o produtor televisivo David Chase, que tinha trabalhado com Weiner em The Sopranos, considerava que a HBO seria o canal acertado para a emissão da série.

Assim, Chase e os seus representantes entregaram o guião do episódio-piloto ao canal. Embora a HBO nunca tenha feito nenhum comentário, segundo uma história publicada na Vanity Fair, em 2009, Chase e Weiner afirmaram que a emissora só se mostrou interessada se David Chase fosse um dos produtores executivos de Mad Men. Chase acabou por recusar o convite, apesar do seu entusiasmo pelo argumento.

Antes do guião ter chegado às mãos da Vice-Presidente de Desenvolvimento do AMC, Christina Wayne, ainda foi recusado pelo canal Showtime.

DON DRAPER É INSPIRADO NUMA PESSOA REAL
O protagonista, interpretado por Jon Hamm, pode não ser totalmente baseado numa pessoa verdadeira, mas, pelo menos, certas partes do lendário Don Draper são baseadas em Draper Daniels. A inspiração para a personagem central de Mad Men é o lendário publicitário de Chicago que, enquanto criador da Leo Burnett, inventou o Marlboro Man.

Em 2009, a esposa de Daniels chegou a escrever uma coluna para a Chicago Magazine, na qual reconheceu que o guionista Matthew Weiner se baseou em Draper para criar Don Draper.

O EPISÓDIO-PILOTO FOI GRAVADO DURANTE O HIATUS DE “THE SOPRANOS”
Como a última temporada de The Sopranos foi filmada em duas partes, Matthew Weiner aproveitou o hiato da produção para gravar o piloto de Mad Men. O criador do drama publicitário teve a colaboração de vários colegas que trabalhavam em The Sopranos para a produção do primeiro episódio de Mad Men.

Rob Sorcher, antigo vice-presidente executivo de programação e produção do AMC, revelou à TV Insider que graças à colaboração de todos o piloto foi gravado em 10 dias, em Queens.

ROGER STERLING QUERIA INTERPRETAR DON DRAPER
John Slattery, que deu vida a Roger Sterling, originalmente fez o casting para o papel de Don Draper. Quando questionado, pela ShortList.com, se odiava secretamente Jon Hamm por ter conseguido o papel, Slattery brincou: “Não, eu não o odiei. Desde início que ficou evidente o quão irritantemente bom ele [Hamm] era naquele papel. Eu acho que as pessoas não se aperceberam o quão difícil é dar vida a alguém tão subtil como ele [Don Draper]”.

BETTY DRAPER QUERIA INTERPRETAR PEGGY OLSON
Tal como John Slattery, também January Jones não se candidatou para interpretar Betty Draper, inicialmente. A atriz fez duas audições para o papel de Peggy Olson, personagem que foi interpretada por Elisabeth Moss.

No entanto, o criador de Mad Men tinha outra ideia para Jones. “Quando eu fiz a segunda audição para Peggy, Matt [Weiner] disse-me: ‘Bem, há outro papel, mas eu não sei o que lhe vai acontecer’. Ele não tinha nenhuma cena para mim, então ele rapidamente escreveu algumas”.

“MAD MEN” AUMENTOU AS VENDAS DE LUCKY STRIKE
Os cigarros foram um acessório muito importante para a série da AMC. E a Lucky Strike, marca que desempenhou um papel recorrente na produção, beneficiou da sua associação a Mad Men. A empresa quase duplicou as suas vendas durante o período de exibição – vendendo mais 10 mil milhões de cigarros.

OS ATORES NÃO FUMARAM CIGARROS REAIS
Apesar de Mad Men ter beneficiado as vendas de Lucky Strike, os atores não fumaram cigarros verdadeiros. Foram utilizados cigarros de ervas Ecstacy, uma vez que estão isentos de tabaco e nicotina.

“Tu não queres atores a fumar cigarros verdadeiros. Eles ficam agitados e nervosos. Eu já estive em sets de filmagens em que as pessoas vomitam de tanto fumar”, afirmou Matt Weiner, criador da série. No entanto, os atores Jon Hamm e Christina Hendricks afirmaram que os cigarros de ervas sabem mal: “São nojentos”.

Jon Hamm confirmou que as bebidas consumidas no programa não são alcoólicas, ressaltando que o cronograma de filmagens é realmente muito agitado e que ele nunca beberia durante o dia, seja dentro ou fora da câmara.

PARTILHAR esta página: