As 5 chaves do êxito de “Narcos”

De certeza que a icónica frase, “Plata o plomo?” te soa familiar se és fã de “Narcos”. Agora já podes acompanhar a história de Pablo Escobar com os novos episódios da série a serem emitidos todas as quintas às 22h10 no AMC. Mas se ainda não estás convencido não te preocupes partilhamos 5 motivos para que entendas a qualidade do material antes de comprá-lo.

1. Baseada numa história real

Mesmo estando morto, Pablo Escobar permanece vivo. São várias as biografias e adaptações que surgem sobre a vida de Escobar, o que o converteu numa personalidade atrativa de ser adaptada ao pequeno ecrã. As personagens são autênticos ícones que têm o toque de terem existido em carne e osso. É aí que entra em jogo a magia do espectador capaz de introduzir-se numa jornada que fez parte da história do mundo. A dimensão e complexidade que os personagens alcançam depende do trabalho de investigação existente por detrás, tentando representar da forma mais verdadeira e real possível a vida destes narcotraficantes e do cartel de medellín, sempre com o desafio de satisfazer o público que já conhece a história e mostrando assim o toque de excelência de Narcos”.  

2. Aprende a empreender

O narcoterrorista colombiano, fundador e líder do cartel de Medellín nos seus melhores tempos conseguiu rendimentos à volta dos 420 milhões de dólares por semana. Podemos reprovar muitas coisas sobre Pablo Escobar mas é indiscutível que este foi um grande empreendedor. A série é um grande reflexo de todo esse processo e com ela podemos conhecer os primeiros passos. Desde como definir uma idea de negócio, passando por aspectos mais avançados, como escolher os sócios mais adequados ou controlar a lei da procura/oferta do mercado. É um mundo selvagem e temos que estar atentos a qualquer oportunidade.

3. O grande Wagner Moura

Além de ser cantor, compositor e jornalista na vida real, o brasileiro Wagner Moura foi o ator encarregue de dar vida a Pablo Escobar. Conhecido pela sua participação no filme “Tropa de Elite” de José Padilha, a dupla director-actor voltou ao ataque em “Narcos”. Para dar vida ao personagem, Wagner não só teve que deixar crescer bigode bem como engordar 20 quilos. No entanto houve muito mais trabalho por detrás da construção deste personagem, uma vez que o ator também teve que trabalhar no sotaque colombiano. Todo este esforço e dedicação valeram-lhe uma nomeação para um Globo de Ouro em 2015. Completam o elenco rostos como Pedro PascalAlberto Ammann e Paulina García, atores com uma ampla experiência em ficção.

4. O seu carácter documental

A voz off do nosso protagonista é indispensável para que o espectador compreenda o contexto histórico (político e sociológico) da Colombia e das suas relações com o resto do continente. Isto unido às imagens de arquivo que acompanha a narração convertem “Narcos” numa rigorosa janela para a história do país e dos movimentos da administração norteamericana na luta contra a droga.

5. É droga pura

Frenética e aditiva, “Narcos” têm todos os ingredientes para ser um sucesso de entretenimiento. A história do ascenso do cartel de Medellín, a aventura política de Pablo Escobar e a perseguição da justicia americana através dos agentes da DEA, e dos crescentes confrontos entre os diferentes carteis colombianos transformam “Narcos” numa série marcada por uma forte componente de tensão dramática que acaba por ser viciante. O seu segredo? Ser fiel à história que pretende retratar.

Nós já nos convertemos e temos claro que todas as quintas às 22h10 viajaremos até à Colombia para um novo episódio de “Narcos”.

VÊ MAIS NO BLOG: AMC ESTREIA EM EXCLUSIVO “GIGANTES” A 1 DE ABRIL

PARTILHAR esta página: